Tragones Anônimos ajuda latinos nos Estados Unidos com excesso de peso

Os latinos com excesso de peso e obesidade têm em Chicago, com uma filial Tragones Anônimos, um grupo fundado no México há mais de 20 anos para ajudar as pessoas a perder peso sem deixar de comer, que também lhes ensina a lidar com suas emoções

EFE/Lúcio Vila

Artigos relacionados

Segunda-feira 03.09.2018

Terça-feira 28.08.2018

Segunda-feira 20.08.2018

“Não há receitas mágicas e também não é proibido comer. O plano de alimentação é ajudado pelo apoio espiritual e familiar que recebemos no nosso grupo”, disse Ana em uma entrevista com a Efe.

Ana é o nome fictício de uma jornalista oriunda de Chihuahua (México) e que chegou a Chicago, há dois anos, como voluntária para ajudar Anjo, um jovem que aos 17 anos pesava 156 quilos e conseguiu descer 60.

Ambos sofriam de excesso de peso e o fracasso de “ter tentado todas as dietas possíveis” sem resultado. Não basta perder peso, mas há que reconhecer que “o comer é uma doença e é necessário estabilizar para deixar de tratar”, disse.

Segundo relatou, a mãe de Anjo soube da existência de Tragones Anônimos no México e enviou-o a viver com um grupo em Torreón, Coahuila.

Comer muito, um vício

Para o jovem, nascido em Chicago, único membro de sua família que sofre de excesso de peso, comer muito, não era um vício, mas um vício.

Em um depoimento publicado por Tragones Anônimos em sua página na internet, o Anjo disse que comia “por depressão, porque aos 17 anos não podia sustentar uma vida social normal”.

“É como os doze passos de alcoólicos anônimos, há que reconhecer que o comer em excesso é uma doença e que precisa de uma dieta saudável”, disse Ana, que se juntou ao Anjo da fundação da filial em Chicago.

Ana, que sofre de obesidade a partir dos três anos de idade e chegou ao grupo pesando 111 kg, tentou a banda gástrica sem resultados satisfatórios. “Finalmente me dei conta de que a doença estava em sua cabeça, e não no estômago”, disse.

O grupo funciona em um local do Governo de Durango, em Chicago, com atendimento bilíngue e gratuita, de segunda-feira a sábado. Segundo os fundadores, têm latinos que são capazes de reduzir mais de 50 quilos de peso em um ano.

Plano de alimentação

Não se incentivam os comprimidos, liquefeitos ou os chás, e também não se enfatiza o exercício. Em vez de dieta preferem chamá-plano de alimentação, “porque dieta já fizemos todos e sempre rebotamos”, aponta Ana.

O tempero dos alimentos é feito com pimentas, ervas e pimenta, mas Ana salienta que “o mais importante é o apoio espiritual e familiar para continuar com o plano e trabalhar as emoções”.

Israel Ramírez disse à Efe que o grupo lhe ensinou a equilibrar a comida e a usar vegetais, frutas, proteínas e hidratos de carbono para perder peso.

“Estava obeso, me doía os joelhos e os pés e sofria de acidez”, disse.

Maria Ruiz, por sua vez, disse que testou de tudo, antes de chegar ao grupo, inclusive anfetaminas para emagrecer, “e me provocaram uma infecção na vista”.

O guia internacional de Tragones Anônimos do México, Cristina Mendoza, que viajou a Chicago para discutir o significado do “tragonismo” entre os latinos, disse que os grupos há “muita gente jovem” com excesso de peso e a ponto de se tornarem diabéticos, “que é uma das doenças mais cruéis”.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply