Após as férias: ¡depuração digital!

Retorno às atividades habituais, um bom momento para fazer uma depuração digital, evitando o uso excessivo de redes sociais e dispositivos eletrônicos que podem promover transtornos da alimentação, afetar o peso corporal e prejudicar a saúde nutricional. Quatro peritos do Instituto Médico Europeu da Obesidade (IMEO) nos explicam

Adolescentes e jovens mulheres estão em risco de vícios comportamentais por excessivo do uso de redes sociais e dispositivos móveis, de acordo com os especialistas/FOTO IMEO

Artigos relacionados

Segunda-feira 17.07.2017

Sexta-feira 20.01.2017

Quarta-feira 15.04.2015

Estar submerso em excesso em um ambiente virtual favorece um estilo de vida sedentário, quadros de excesso de peso e também de desnutrição, incompatibilidade nos horários de sono e alimentação”, diz o especialista em nutrição do IMEO, Ruben Bravo.

A psicóloga Maria González deste mesmo instituto, recomenda-se refletir sobre como nós usamos as redes sociais, dá um tempo máximo estabelecido, de antemão, ao dia, e eliminar aquelas que não usamos ou que nos gerem negatividade psicológica, e redirecionar nossa atenção para outras atividades ou para “hobbies” não digitais.

Os excessos ‘on-line’ afetam a nossa linha

“Além disso, estar imerso em um ambiente virtual durante mais tempo do que o necessário favorece um estilo de vida sedentário, quadros de excesso de peso e também de desnutrição, incompatibilidade nos horários de sono e alimentação, além do lanche de alimentos altamente processados, ricos em gorduras e açúcares”, diz Bravo.

“O uso excessivo da Internet e das redes sociais (RRSS), como Facebook, Twitter, Instagram ou de sites como o YouTube, pode ser considerada um vício psicológico, já que pode gerar tolerância (necessidade de entrar nas RRSS mais freqüentemente e durante mais tempo) e de abstinência (ansiedade, se não é possível acessar as redes)”, aponta Ana Gutierrez, psicóloga do IMEO

“Este tipo de plataformas podem contribuir para o desenvolvimento de distúrbios de ordem alimentar (pouco saudáveis, sala de jantar compulsivo, bulimia, ortorexia, vigorexia ou anorexia), que têm muito que ver com o aspecto físico e podem acarretar outras consequências negativas, como ansiedade, depressão, comparação social negativa ou ‘bullying’, entre outras”, diz Gutierrez.

Consultar sistematicamente páginas sobre a perda de peso, queima de gordura, nutrição esportiva, exercícios para aumentar ou diminuir o volume, dietas desencorajadas, venda de esteróides ou substâncias dopantes, pode alimentar comportamentos filmes ou compulsivas em pessoas predispostas a desordens alimentares, de acordo com a nutricionista Andrea Marques, também do IMEO.

“Com a inércia do dia-a-dia vamos gerando hábitos que, pouco a pouco, fazem-nos mais dependentes do mundo tecnológico”, acrescenta a psicóloga Maria Gonzalez.

Segundo esta profissional, o uso e consumo de tecnologia e RRSS pode ser viciante “quando afeta a vida diária da pessoa, enlenteciendo ou interrompendo o seu desenvolvimento normal, tanto acadêmico ou de trabalho, e quando a cessação do consumo ou o contato com estes meios gera ansiedade em pessoa”.

“Se, no cômputo geral se dedica mais tempo às RRSS e os dispositivos eletrônicos que, no contato social real com familiares ou amigos e a atividade ao ar livre, poderíamos dizer que entramos em um consumo abusivo”, enfatiza González.

“O falso ‘contato social’, que experimenta o internauta nas RRSS reforça a sua privacidade e comparar-se com os estilos de vida que se mostram nestas plataformas, que engrandecem um ideal irreal da felicidade 24 horas por dia, pode gerar a essa pessoa sentimentos de insatisfação e ansiedade que podem tentar compensar através de ingestiones excessivas de alimentos doces ou muito calóricos”, segundo a psicóloga.

A reentrada: ocasião para desenredarse

Se as férias podem promover o uso excessivo de aparelhos eletrônicos e as redes sociais, voltar às atividades normais após a pausa de verão, podem ser um bom momento para “desembaraçar” e “depurar” a nossa vida e atividades “on-line”.

“A volta à rotina depois de umas férias ou uma escapadela pode ser uma ocasião ideal para mudar nossa relação com o mundo digital”, explica à Efe a psicóloga Ana Gutierrez.

“Trata-Se de um momento em que devemos voltar mais relaxados, com um bom estado de espírito e é um excelente ponto de partida para evitar maus hábitos no uso de dispositivos móveis”, garante.

“Começar este ‘Détox digital’ depois das férias, nos ajuda na hora de marcar-nos limites concretos da utilização do entretenimento digital”, segundo Gutiérrez.

“A reentrada é um momento oportuno para considerar novas atividades de lazer e desconexão em que não haja a tecnologia, como praticar esportes, ler, tocar algum instrumento musical ou desenhar”, indica a especialista.

Doze chaves de uma boa “depuração” digital

A psicóloga Maria González oferece algumas dicas para desfrutar de um bem-estar digital, sem cair na armadilha da dependência emocional ou outros distúrbios psicológicos e comportamentais, realizando um ‘détox ou depuração’:

1.- Verifique e dê baixa os “e-mails” de ‘newsletters’ que não leia.

2.- Desactivar os alertas do celular para a caixa de entrada do e-mail, e propóngase dois horários específicos do dia para realizar uma análise de seus e-mails.

3.- Silencie os grupos de bate-papo e exclua aqueles que já não use.

4.- Desabilite as notificações e sons do WhatsApp, para não gastar muito tempo do dia-a-consultar a tela de dispositivos para verificar se há novas mensagens.

5.- Reflita sobre como você usa as redes sociais, e exclua aquelas que não use ou que gerem negatividade psicológica.

6.- Controle as horas ao dia que dedica às redes sociais, a fixar um máximo de tempo e, quando esse tempo se esgotar, direcione a sua atenção para outras atividades.

7.- Em seu tempo de folga, fins de semana ou férias, desligue das redes sociais durante a maior parte do dia.

8.- Retome as leituras atrasadas e atividades ao ar livre.

9.- Crie sua própria rotina: estabeleça os horários que incluam os tempos de trabalho e de lazer e as cinco principais refeições irá ajudá-lo a planejar o que momentos do dia vai destinar para o mundo digital, para que este período não interfira com o resto de tarefas.

10.- Preste atenção ao momento presente: a comida é uma atividade importante, que devemos dedicar tempo e atenção, e nos concentrar nela quando a estamos realizando. Por isso, esta psicóloga recomenda:

a) Evitar o uso de telas e do móvel enquanto comemos, por exemplo, durante a jornada de trabalho, colocando a nossa atenção naquilo que estamos comendo.

b) Entrar de acordo com a pessoa que nos acompanha a comer para deixar o telefone fora da vista e centrar a atenção na conversa e a refeição.

c) Reduza as conversas constantes através de redes sociais e substitua-as por encontros em pessoa ou chamadas de telefone em que possamos prestar uma atenção plena no aqui e agora.

11.- Organize momentos livres de tecnologia: faça uma lista de atividades alternativas ou hobbies que não exigem o uso de dispositivos eletrônicos.

12.- Use um despertador em vez de alarme do celular. Este simples gesto pode ajudar a consultar as redes sociais não seja a primeira atividade que faça acordar.

(2 votos, média: 5,00 out of 5)
Loading…

Leave a Reply